Você se acha substituível em seu local de trabalho?

Share

por Ronaldo Lundgren.

insubstituivel

É comum se ouvir que “ninguém é insubstituível”. Você se acha substituível em seu local de trabalho? Para responder a esta pergunta podemos tomar várias perspectivas. Por exemplo, podemos argumentar que todo trabalhador vai um dia se aposentar. Nem por isto a empresa vai fechar as portas ou mudar drasticamente suas atividades.

Olhando por esse prisma, todos somos substituíveis.

Contudo, quando vemos que as relações humanas e os modelos de negócios estão passando por uma revolução no mundo, podemos afirmar que somos insubstituíveis. Certamente, não a maioria das pessoas. Mas é possível você se preparar para ser indispensável no seu local de trabalho. Preparar-se para ser insubstituível.

 As relações na era industrial

Adam Smith, autor do clássico A Riqueza das Nações, propõe que as empresas “quebrem a produção de bens em pequenas tarefas, que possam ser realizadas por pessoas com baixos salários, seguindo instruções simples”.

A proposta de Smith foi amplamente encampada. Empresários investiram em máquinas e equipamentos, buscando facilidade de manutenção e de reposição, substituindo-as a baixo custo. Da mesma forma, desenvolveram processos, codificando de maneira simples as instruções que deveriam ser seguidas pelos funcionários.

As empresas transformaram os trabalhadores em engrenagens substituíveis de uma enorme máquina.

Por séculos, as pessoas foram treinadas, especializando-se na tarefa que iriam realizar na linha de produção de uma empresa. Como incentivo, os trabalhadores receberam a promessa de serem “cuidados” pela empresa: salário digno, plano de saúde, uma certa estabilidade.

Os estados nacionais se estruturaram para formar a mão-de-obra necessária ao desenvolvimento econômico. Depois, passaram a garantir direitos do trabalhador, corrigindo as distorções que o mercado impunha na busca do lucro.

Parece estranho, mas tornando-se especialista, o trabalhador passou a ser facilmente substituível. Com farta disponibilidade de mão-de-obra, é fácil repor um funcionário que cria problemas ou que exige seus direitos.

O que é ser insubstituível

Mas o mundo está mudando. Da era industrial que inspirou Adam Smith, passamos a viver a era da informação.

Estudos apontam como uma das principais tendências mundiais o empoderamento do indivíduo. Graças a uma combinação de fácil acesso à tecnologia da informação e à melhoria da qualidade de vida, cada vez mais indivíduos irão se sobressair, destacando-se em suas cidades, estados, países e até mundialmente.

Ainda estamos em um período de transição. Na maioria dos países, as pessoas utilizam a internet para fazerem mais rápido e mais preciso a mesma especialização que possuem. Poucos inovam.

No lado das empresas, percebe-se o uso intensivo da terceirização. Assim, com uma mudança nas relações trabalhistas, pagarão menos aos terceirizados, obtendo serviços de boa qualidade. A “pejotização” está aí para comprovar.

Contudo, o talento individual, a criatividade e a arte serão cada vez mais valorizados.

Seth Godin, em seu livro “Você é Indispensável?”, considera como gênio a pessoa que “olha para um obstáculo que está atravancando os outros e consegue removê-lo, fazendo o mundo andar”. Simples assim. Você é desse tipo de pessoa?

Se você é do tipo capaz de articular seu grupo, os meios disponíveis e fazer a diferença na sua empresa, você é um elemento-chave. Você passa a ser insubstituível.

Conclusão

Esse elemento-chave tem competências que podem leva-lo ainda mais longe. E as empresas não querem perdê-lo.

Uma pessoa pode, a partir de sua casa, com um smartphone e internet, criar novos hábitos, desenvolver novos produtos e serviços. Conectar-se diretamente com seus clientes. Sem intermediação.

Você pode estar pensando em ícones mundiais, como Bill Gates, Bob Dylan ou Steve Jobs. De fato eles influenciaram muita gente. Mas, o seu poder individual pode oferecer aos consumidores produtos e serviços melhores do que as empresas conseguem fazer.

Seth Godin acredita que “pessoas com um desempenho excepcional estão começando a perceber que não vale a pena fazer um trabalho de fábrica e receber salários de fábrica só para subvencionar o chefe”.

Aquele mundo de Karl Marx, composto pela burguesia e o proletariado, classes que se enfrentariam até a vitória dos proletários, está em transformação. Para Godin, “agora há uma terceira camada na economia” cujos representantes são os elementos-chave.

Os elementos-chave têm o dom de combinar o capital e o trabalho. E você pode se capacitar para ser um desses elementos. O que o tornará insubstituível.


Caso tenha gostado, por favor, comente e compartilhe. Sua opinião é muito importante.

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

6 comentários em “Você se acha substituível em seu local de trabalho?”

  1. A chave para gerenciar os outros de maneira efetiva é aprender a se gerenciar primeiro. Quanto mais você conhece a si mesmo, melhor poderá se relacionar com os demais, a partir de uma posição de confiança, segurança e força”. (Weisinger)

  2. Penso que todos nós somos substituíveis, mas, quando nosso ego é superior, nos faz pensar ser insunbistituiveis. Ai, nessa situação, precisamos ser trocados imediatamente.

  3. Ninguém é insubstituível!
    Em todas as profissões, em um lar, em um relacionamento pessoal, em um casamento, em amizades… ninguém é ou será INSUBSTITUÍVEL. Pois todas as pessoas podem ser treinadas para substituir e estarem dispostas a mudanças imprevistas.
    Muitas vezes, não precisa nem treinar e sim , ter dedicação, vontade e disposição .
    Anna Elizabeth

    Enviado do meu iPhone

Deixe uma resposta