Liderança no Brasil

Share

por Renata Pessoa.

Artigo publicado no site “Abílio Diniz” abordando pesquisa realizada para identificar estilos de liderança no Brasil.

Liderança no Brasil

Renata Pessoa

A consultoria QuotaMais traçou os estilos de liderança mais comuns no Brasil. Para chegar ao resultado, a pesquisa cruzou informações de um banco de dados com autoavaliações de cerca de 10 mil executivos com análises de pelo menos outros três profissionais que trabalhavam diretamente com esses líderes, totalizando mais de 30 mil avaliações.

Deste modo, a consultoria conseguiu identificar não só os estilos de liderança mais adotados no país como também constatou as diferenças entre a forma como os líderes se enxergam e como são percebidos por seus subordinados.

Líder visionário

De acordo com o estudo, o estilo que mais cresceu nos últimos três anos foi o visionário – líder que está sempre pensando no futuro, criando dimensões para projetos em longo prazo e, por isso, inspira a equipe. Em 2010, 53% dos executivos foram considerados visionários por seus pares ou subordinados. Em 2011, esse percentual foi de 54%, e cresceu para 61%, no último ano.

Líderes autoritário e afetivo

Por outro lado, líderes com estilo autoritário – que acredita numa relação de poder unilateral, na qual ele é quem manda – e afetivo – que privilegia o apoio às pessoas e crê que garantir o bem-estar de cada funcionário no ambiente corporativo é a sua principal responsabilidade – têm sido menos encontrados ao longo dos anos. Em 2010, 46% dos líderes foram avaliados pelos outros como autoritários. Em 2011 e 2012 o percentual caiu para 45% e 44%, respectivamente. Já em relação aos líderes afetivos, em 2011, 52% foram considerados como gestores deste estilo. No ano passado, esse número caiu para 49%.

Conclusão

Um dos pontos mais curiosos da pesquisa é a divergência entre as avaliações dos líderes e as de seus subordinados. Em 2013, por exemplo, 69% dos executivos disseram que adotavam o estilo diretivo – cujo papel é alinhar esforços para obter objetivos comuns. Porém, na percepção dos subordinados esse percentual cai para 65%. O inverso ocorre com o estilo autoritário: apenas 37% dos executivos se consideram autoritários, enquanto 44% deles foram avaliados como tal por seus funcionários. Essa relação se manteve parecida ao longo dos últimos dez anos.

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Deixe uma resposta