Liderança e ética

Share

por Ronaldo Lundgren.

ReLid

LIDERANÇA E ÉTICA 

Em 1998, Rafael Biselli Ferreira, orientado pela professora Maria Ester de Freitas, apresentou o trabalho de iniciação científica, intitulado Liderança e Ética, à Fundação Getúlio Vargas-SP.

O resultado da pesquisa realizada chama a atenção nesse trabalho. Nas próprias palavras de Rafael Biselli, vejamos seus principais aspectos.

Mudança nas organizações

 Constata-se, nesta última década (1990), uma mudança significativa nas estruturas organizacionais das empresas. Elas precisam ser mais competitivas e cada vez mais estar próximas do cliente para atendê-lo melhor.

Esta mudança foi caracterizada pela flexibilização das estruturas burocráticas tendo como foco a satisfação do cliente. Ao flexibilizarem-se as estruturas, diminuíram-se os controles formais dos processos da empresa, dando-se mais autonomia às ações dos funcionários destas organizações.

Lacuna, liderança e ética

Não foi fácil realizar a pesquisa. Houve muita dificuldade em contatar empresas que tivessem interesse em serem pesquisadas em temas como Ética e Liderança. Este aspecto já indicava uma falta de preocupação sobre o assunto.

Como resultado, foi possível constatar que as mudanças nas estruturas acarretaram uma lacuna de controle. Esta lacuna poderia ser diminuída por fortes lideranças e pela adoção de programas de Ética na empresa que desenvolvam valores e padrões de comportamento.

A liderança é um fator crítico de sucesso para as organizações tentarem aumentar sua coerência ética. As ações e os comportamentos dos líderes carregam significativamente mais peso do que suas palavras ou políticas formais. Também como servem de base para grande parte da organização.

O mercado está exigindo que muitas empresas sofram mudanças organizacionais. Conseqüentemente, as empresas deverão se preocupar com a questão da Liderança e da Ética nas organizações.

O líder, enquanto modelo para a organização, exerce influência expressiva nos valores e comportamentos dos seus funcionários. Mais que tentativas formais (códigos e documentos), o exemplo do líder é fundamental para o comportamento ético dos funcionários ao incentivar, envolver e enfatizar seus atos.

Conclusão

A pesquisa realizada ao final dos anos 1990 já indicava a necessidade de os líderes darem bons exemplos éticos nas suas organizações. Infelizmente, constatamos que várias empresas seguiram caminhos diferentes. Chegando ao ponto de a Odebrecht ter criado um departamento para cuidar da corrupção a políticos.

Como afirmou Rafael Biselli: “A liderança é um fator crítico de sucesso para as organizações tentarem aumentar sua coerência ética”.

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Deixe uma resposta