Se você é daqueles que não conseguem terminar…

Share

Se você é daqueles que não conseguem terminar…[PROCRASTINAR]

não conseguem terminar...[PROCRASTINAR]

A descoberta que mudou minha vida. Pode mudar a sua também.

Vou direto ao ponto nesta confissão.

Eu nunca conseguia terminar nada.

Não é necessário contar cada situação específica em seus tristes detalhes. É uma história curta – triste -:

Sempre começava entusiasmado, sempre abandonava inacabado.

Olhei para trás e notei que não era um caso único. Era uma série de longa duração capaz de rivalizar com qualquer uma das melhores da Netflix.

É frustrante.

Parecia que o mundo conspirava contra mim.

Eu inicio um projeto, o ciclo começa, as coisas se tornam desafiadoras, eu me distraio, entro no modo imaginação e pronto! Estou seduzido por outra ideia.

Mudo para a nova ideia, o entusiasmo aumenta, continuo bem, o interesse diminui, eu me distraio, volto novamente para o modo de imaginação e … você adivinhou! … tenha outra ideia.

E o ciclo continua

Você conhece a frustração de uma vida que não consegue terminar nada?

Não exatamente ocioso, mas não tendo muitas conquistas, só uma série de projetos inacabados, apenas por causa da incapacidade de concluir alguma coisa?

Cursos abandonados. Metas de carreira abandonadas. Treinamento físico abandonado. Blogs abandonados. Academia de ginástica abandonada. Dezenas e dezenas de artigos inacabados que nunca verão a luz do dia abandonados em um elegante disco rígido.

Aproveitando a onda emocional viciante que acompanha todos os novos projetos, mas nunca é capaz de concluir nada.

Isso descreve você?
(Enfim, lembre-se de terminar este artigo.😀)

É incrível pensar nisso agora. Mas atualmente sou muito melhor em manter a aderência. Ainda não estou completamente curado – especialmente com mais possibilidades de projeto do que a vida toda para alcançá-las – mas é seguro dizer que melhorei muito.

Porque, vamos ser sinceros: você pode deixar de ter uma vida com significado se continuar iniciando as coisas, mas nunca conseguir colocá-las na linha de chegada.

E, para ser franco, saltar de um projeto para o outro deixando uma ladainha de projetos inacabados, abandonados em seu caminho, não é sinônimo de uma vida interessante.

Você acaba olhando para trás, percebendo que sonhou acordado sua vida sem ter muito o que mostrar.

Assim, quero compartilhar com você a percepção que mudou minha vida. Que me ajudou a me comprometer com mais coisas e finalizá-las.
E aqui está …

A teoria dos níveis de construção (CLT)

Já vou avisando. Não se impressione com o nome chique da teoria. Porque, no fundo, é uma ideia muito simples, mas extremamente poderosa.
Vamos continuar…

A teoria dos níveis de construção (CLT) é uma teoria em psicologia social que descreve a relação entre a distância psicológica e a extensão em que o pensamento de uma pessoa é abstrato ou concreto.

Sua premissa principal é que percebemos objetos ou eventos distantes como abstratos, intangíveis, inobserváveis ​​e com conceitos amplos, enquanto percebemos objetos ou eventos próximos com características concretas, específicas e observáveis.

Prosseguindo:

Percebemos o projeto ou objetivo em que estamos trabalhando no modo próximo, enquanto percebemos o projeto / objetivo que, até o momento, existe apenas em nossa imaginação no modo distante.

Quando você move um objetivo / projeto da imaginação (onde você está pensando sobre ele) para a vida real (onde você começa a trabalhar nele), passa de uma percepção de modo distante para uma percepção de modo próximo.

Lembre-se de que a percepção no modo distante é ampla, abstrata e intangível, enquanto a percepção no modo próximo é específica, concreta e tangível.

A tirania do modo próximo vs. modo distante

A percepção de modo próximo do seu projeto atual o torna específico, concreto e tangível.

Você vê isso em todos os detalhes vívidos: agora que você realmente precisa acordar diariamente para ir à academia, em vez de apenas fantasiar estar em forma, a rotina diária não é mais tão divertida.

Você está realmente tendo que se sentar e programar, em vez da fantasia de ser um programador top. Ter que trabalhar duro agora, por longas horas é até frustrante, porque ainda não consegue ver um progresso proporcional.

No auge da batalha, você está percebendo que administrar um dos 100 melhores blogs não é tão fácil quanto você pensava. Está percebendo que se tornar um programador muito procurado é muito mais fácil quando o cara no anúncio do YouTube diz isso do que parece agora que precisa sentar na cadeira e codificar.

Por outro lado, as novas ideias e objetivos do projeto que surgem na sua cabeça não têm nenhuma dessas desvantagens.

Você pode se concentrar em quão maravilhosa será sua vida quando tiver esse canal no YouTube com um milhão de inscritos.

Pode fantasiar sobre seus seguidores, em ser um poliglota, em ser um autor de seis dígitos … sem nenhum sacrifício. Neste mundo de fantasia da imaginação, não há complexidade, desvantagens, dificuldades. Apenas felicidade.

O perigo da distância

Portanto, ao iniciar um novo objetivo e sua percepção muda do modo distante para o modo próximo, você passa da fantasia para o detalhe sombrio. E, de repente, começa a perceber que o objetivo não é tão fascinante quanto você pensava.

No entanto, o maior erro que cometemos neste momento é acreditar que mudar para um novo projeto é a resposta. Não percebendo que todo objetivo que vale a pena deve parecer duro, sem glamour, sem sexo, enquanto fazemos o trabalho.

Essa mudança de percepção à medida que você aumenta o zoom no projeto / objetivo atual, previsto pela CLT, é o motivo pelo qual você prefere iniciar uma nova ideia “legal” em vez de buscar seu projeto / objetivo atual até a conclusão.

Essa foi a profunda percepção que mudou tudo.

É uma rara mudança de perspectiva que teve tanto impacto. Pelo menos para mim.

Duas mudanças importantes aconteceram:

1. Perceba que o pântano escuro é inevitável

John Saddington descreveu brilhantemente a “jornada emocional de criar qualquer coisa incrível”.

não conseguem terminar...[PROCRASTINAR]

Isso mostra muito apropriadamente como qualquer projeto / objetivo que vale a pena vai da fase

  • tive uma ideia sensacional“; para a fase
  • isso vai ser legal“; da fase
  • ok, é mais difícil do que eu pensei“; para a fase
  • putz, ainda tem muito trabalho pela frente“; e depois vem a fase
  • droga! Eu não tenho a menor ideia do que estou fazendo“; quando você começa a entrar no grosso das coisas, na fase do
  • pântano negro do desespero“; para a fase
  • ok, mas continua tudo uma droga“; para a fase rápida
  • beleza. Vamos dizer que aprendi uma ou duas coisas“;  em seguida
  • opa. Será que…“; e, finalmente, a fase
  • a melhor coisa que fiz na vida“, onde você finalmente alcança seu objetivo.

O problema é que o pântano profundo do desespero sugou mais objetivos e projetos do que gostaríamos de admitir.

Para Seth Godin, esta fase é “o mergulho”.

As coisas estão ficando mais difíceis, menos divertidas e você começa a questionar tudo. Questiona se realmente vale a pena o aborrecimento. Por outro lado, é incrível perceber a grande diferença que esse pântano negro faz.

Um dos maiores erros é deixar de reconhecer que essa deveria ser a jornada para algo grandioso. Mudar para outro projeto não será a cura.

Perceba que atravessar o pântano negro do desespero será difícil. Prepare-se. Construa sua estratégia para sair deste poço diabólico.

Lembre-se também de que a maioria das pessoas vai parar ao chegar a esse poço e pulará para a próxima ideia interessante, que inevitavelmente os levará pelo mesmo vale.

É por isso que simplesmente persistir por mais tempo do que a maioria das pessoas aumenta suas chances de sucesso.

2. Apaixone-se pela rotina

O mundo tem mais falantes do que realizadores.

Lembre-se de como todos sonham com grandes ideias durante as reuniões. Ao saírem, não fazem nada a respeito e depois retornam à próxima reunião para sonhar um pouco mais.

E aí está a sua vantagem.

Se você aprende a se apaixonar pela execução tanto quanto sonha com ideias, entra para um clube realmente exclusivo – de fazedores, de empreendedores.

Perceba que quase todo mundo falha no entendimento da teoria do nível de construção.

O que torna sua capacidade de entendê-la e navegar com sucesso em torno dela uma enorme fonte de vantagem. Você abandonará muito menos projetos. Persistirá mais e conseguirá realmente terminar as coisas.

Já percebeu que fazer as coisas nem sempre é empolgante. Está cheio de obstáculos e frustrações. É por isso que você encontrará mais pessoas falando sobre coisas do que pessoas que fazem coisas.

Apaixonar-se por fazer coisas difíceis que muitas pessoas não podem ou não farão, persistindo um pouco mais, recusando o desejo irresistível de desistir, coloca você quase imediatamente à frente de alguns bilhões de pessoas.

Como o autor Steve Pavlina coloca:

“Quanto mais difícil, mais você deve amá-lo”.

Referência(s)

Jude King, PhD -Read This If You Struggle With Finishing Things You Start.

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Deixe uma resposta