Você tem amigos? [liderança versus/ou com amizade]

Share

Você tem amigos?

você tem amigos?

por Alda César.

Quero começar este texto, disponível no sítio Pensador, com uma publicação de um autor desconhecido:

Amizade

Você tem amigos? Em caso positivo, então sabe o quanto é importante ter amigos verdadeiros. Muito já se falou desses tesouros chamados amigos, mas nem todas as pessoas lhes dão o devido valor.

Quando não se é rico, nem importante, nem famoso, é fácil saber quem são os amigos. Pois, em tese, não têm outro motivo para uma aproximação, que não seja a amizade pura e simples. O mesmo não acontece com pessoas ricas ou famosas. Pois aí poderá haver aproximações movidas por interesses e conveniências nem sempre baseados na amizade sincera.

É comum que pessoas famosas, muitas vezes, se sintam solitárias, fiquem depressivas e apáticas, por falta de alguém em quem possam confiar incondicionalmente. A verdadeira amizade está acima de qualquer valor financeiro. Todo o dinheiro do mundo não seria suficiente para adquirir uma amizade leal, já que é um sentimento que não está à venda.

E por mais rico que seja um ser humano, ele não será completamente feliz se não contar com, pelo menos, um amigo fiel. De nada valeria ser a pessoa mais famosa do mundo, se não pudesse contar suas alegrias a um amigo. De nada adiantaria ter todas as riquezas materiais que o mundo pode oferecer, se não houver uma amizade para compartilhar.

Por outro lado, ainda que a pessoa seja a mais pobre da face da terra, se tiver um amigo verdadeiro, nunca passará necessidade. Quando outras emoções se enfraquecem no vaivém dos choques, a amizade perdura, companheira das pessoas que se estimam.

Ter amizade é ter coração que ama e esclarece, que compreende e perdoa, nas horas mais amargas da vida. A amizade pura é uma flor que nunca morre. Para tê-la, você precisa aprender a ser amigo.

Afinal o que significa amizade?

“A amizade ocupa um lugar fundamental em nossas vidas. Ela é tão importante como a necessidade do ser humano de se alimentar e descansar por exemplo. A amizade perfeita apenas pode existir entre os bons.” Aristóteles 

você tem amigos?

“A Escola de Atenas”, do pintor italiano Rafael; ao centro, os filósofos gregos Platão e Aristóteles (Aristóteles apontando para cima, clara evidência sobre a teoria das idéias).

Aristóteles (384 – 322 a.C) foi quem buscou aprofundar o sentido desta relação para a vida como um todo. Por isso pode nos ajudar a responder a essa pergunta. Ele afirma que a amizade (philia) é “sumamente necessária à vida”. Mesmo para aqueles que possuem muitos bens, pois a prosperidade nada é sem o “ensejo de fazer o bem”. Bem que consiste na “prática de ações nobres”.

“Quando os homens são amigos não necessitam de justiça.” Aristóteles

Cultura grega

A cultura grega influenciou o ocidente, não só na linguagem, mas em seus mitos e culturas. Os filósofos gregos estudaram sobre diversas questões, como política, beleza, verdade, vida, conhecimento, amor e amizade.

Apesar de Platão ter escrito em seus diálogos sobre a amizade (no Lisias), quem mais se destacou foi seu discípulo Aristóteles. No livro ética a Nicômaco, Aristóteles dedica os seus livros IX e X para falar sobre o tema.

Para o filósofo, “A amizade é uma virtude, além de ser algo extremamente necessário para a vida.” De fato, ninguém gostaria de viver sem amigos, mesmo que ele possuísse todos os outros bens.

Amizade é uma palavra que evoca uma relação de confiança. Mas o filósofo parece ir mais além disso e, a fim de alcançar esse sentido, reconhece que a amizade é uma relação de amor.

No entanto, pode-se falar acerca da existência de tipos de amizade em Aristóteles. As formas de amizade relacionam-se com o objeto de amor ou “coisas estimáveis”. Com respeito a cada uma delas existe um amor mútuo, e os que amam desejam-se bem a respeito daquilo porque amam. Para o filósofo, a amizade pode basear-se na utilidade ou no prazer ou no bem (denominando assim, os tipos dessa relação).

Na modernidade

Três grandes pensadores já discutiram a concepção de amizade: Montaigne, Voitaire e Kant.

Podemos definir nesse contexto de modernidade como um conjunto de transformações culturais, políticas e econômicas que tem início a partir do século XV e se estende até o século XVIII.

amizade3Montaigne dedicou um capítulo inteiro a amizade a seu amigo Etienne de La Boëtie.

Para Montaigne, entre pais e filhos não pode haver amizade, mas somente respeito. Assim como também não se pode confundir amor e amizade.

Para Voltaire: “A amizade sempre me pareceu a primeira de todas as virtudes, porque é a primeira de nossas consolações”. “Fazer amigos para vencê-los é como construir monstros para combatê-los; é mais natural, mais razoável e mais humano fazer amigos”. amizade4

Em seu livro Ingênuo, Voltaire afirma: “A leitura dilata a alma, mais um amigo iluminado a consola”. E no seu Dicionário Filosófico, publicado em Genebra em 1764, o verbete Amizade registra: “é um contrato tácito entre duas pessoas sensíveis e virtuosas”.

Foi em Lições de Ética que o filósofo alemão Immanuel Kant disse que na amizade o homem se ocupa ao mesmo tempo da felicidade própria e alheia.

amizade5

Distinguindo aqui três formas diferentes de amizade – aquelas decorrentes da necessidade, aquelas fundamentadas no gosto ou intensão e aquelas baseadas no sentimento de intenção – Kant afirmou que a amizade é a superação da ética da busca individual da felicidade. É o máximo do amor recíproco.

De qualquer maneira, encontramos na história da filosofia vários pensadores que apontam a importância da amizade.

O amigo

É o amigo que nos alerta, quem nos provoca a pensar. É também um amigo quem compartilha conosco suas histórias, seu modo de ser, seu cuidado, seu riso.

amizade6

Amizade é uma relação afetiva entre indivíduos.

É o relacionamento que as pessoas têm um afeto e carinho por outra, um sentimento da reciprocidade do afeto, de uma ajuda mútua, compreensão e confiança.

Ela pode ter diversas origens, como: o colégio, a faculdade, o trabalho, amigos em comum, mas também pode surgir por acaso. A amizade não precisa acontecer com pessoas exatamente iguais, com os mesmos gostos e vontade. E em certos casos é exatamente esse o fato que os une. A amizade tem a função de acrescentar ao outro, com suas ideias, momentos de vida, informações, ou é apenas ter alguém para dividir momentos e sentimentos.

Alguns amigos, inclusive, se chamam de melhores amigos, pois se consideram mais que amigos, um irmão de coração. Alguns valores, atitudes e comportamentos relacionados com a amizade podem variar de acordo com a sociedade ou com o momento específico da história.

“O amigo ama em todos os momentos; é um irmão na adversidade”. (Provérbios 27:9)

amizade7

Será utopia?

Para alguns, a amizade verdadeira pode ser considerada como uma utopia. Em face de um mundo globalizado, onde as pessoas atropelam seus interesses por uma amizade, pensando mais em si que no próprio amigo, prejudicando a relação.

Você tem amigos?

Se faz necessário falarmos da virtualidade atual. Nas redes sociais, por exemplo o Facebook, ser amigo é ter sido aceito na página de alguém. Nessa circunstância, a amizade pode ser superficial. Mas por outro lado, certos encontros podem se tornar sólidos, duradouros e, inclusive, escapar da barreira virtual. Tudo é relativo! As redes sociais podem tanto abrir ou fechar portas.

Reações físicas

O médico especialista e pesquisador Ricardo Monesi, professor do Instituto de Medicina Comportamental da Universidade Federal de São Paulo, relata que o cérebro trabalha tão intensamente quanto a língua; a amizade envolve não apenas o contexto social, mas também o biológico e o psicológico. “Essas três dimensões estabelecem relações multidirecionais, ou seja, interagem mutuamente”.

Ele conclui afirmando: ao se relacionar com outra pessoa ou com um grupo, as sensações se traduzem em benefícios no organismo, através da liberação de substâncias que, além da sensação do prazer, ajudam em fatores como o fortalecimento do sistema imunológico e na diminuição da dor.

“O corpo libera os neurotransmissores, como dopamina, serotonina e endorfina, que oferecem sensação de bem-estar e que às vezes é tão intensa, que podem reduzir os níveis de dor, trabalhando como analgésicos, detalha Monezi.

Além disso, as relações sociais são capazes de reduzir a liberação de hormônios relacionados ao estresse, como a adrenalina, a noradrenalina e o cortisol, consequentemente diminuindo o risco de doenças cardiovasculares e fortalece as defesas do organismo.

Monezi lembra: ter amigos pode trazer benefícios no âmbito psicológico, reduzindo a ansiedade; melhora também nos quadros depressivos. No lado social, a amizade ajuda na redução das violências sociais, conclui o especialista.

Você tem amigos?

Conclusão

Amigos são importantes porque todos precisamos saber que somos apreciados, queridos e até amados por aqueles que escolheram ser nossos amigos entre todas as pessoas do mundo.

A amizade é uma escolha. É esse processo de compartilhamento de seus valores e sentimentos que faz a amizade durar. Se faz necessário fortalecer o emocional e ser compreensivo.

No início, a proximidade é importante, porém, amizades fortes sobrevivem mesmo com a distância.

Escolha bem seus amigos e não confunda coleguismo com amizades.

“É melhor ter a companhia do que estar sozinho, porque maior é a recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, um amigo pode ajudá-lo a levantar-se. Mas pobre um homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se!” Eclesiastes 4:9-10

Referências

Pensador.

Filosofia no Caminho.

Carolina Samorano e Juliana Contaifer.

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Deixe uma resposta