Militares apartados da sociedade [Cadê o exemplo?]

Share

Militares apartados da sociedade [Cadê o exemplo?]

militares apartados da sociedade

por Ronaldo Lundgren.

Em 2015, fiz uma viagem à Venezuela. Foi um período curto, de férias, acompanhado por minha esposa. Algumas coisas que vimos me marcaram bastante.

Quando falo sobre a Venezuela, são aquelas impressões que me levam a um prejulgamento do país. Vejamos:

  • as prateleiras de lojas e supermercados estavam vazias;
  • o dinheiro venezuelano não valia nada;
  • a segurança pública estava muito precária; e
  • a população via os militares apartados da sociedade, corrompidos pelo governo.

As imagens de desabastecimento, desemprego e insegurança são bastante divulgadas pela mídia. Milhões de venezuelanos já deixaram o país. O Brasil desencadeou a bem-sucedida Operação Acolhida, recebendo essas pessoas em Roraima e fazendo o trabalho de internalização delas para outros estados brasileiros.

Não é disso que quero falar.

Exército e sociedade

militares apartados da sociedade

Certo dia, tomamos um táxi e, como costumamos fazer, conversamos com o motorista. Perguntas normais, que quase todos turistas fazem:

  • que lugares deveríamos visitar para conhecer Caracas?
  • onde comprar lembranças boas e baratas?
  • quais as músicas e cantores de maior sucesso?
  • que precauções de segurança deveríamos tomar?

Durante a conversa, perguntei sobre o Exército da Venezuela. A minha intenção era perceber como uma pessoa do povo via os militares de seu país. Para minha surpresa, a resposta foi diferente daquela que costumo receber quando visitei outros lugares.

O taxista começou com a seguinte frase:

“Os militares foram comprados pelo governo. Estão todos corrompidos”.

Depois, explicou que o ex-Presidente Chavez aumentou o número de Generais nas Forças Armadas. Praticamente, todos Coronéis eram promovidos a General. Além disso, puxou os militares para vários órgãos do governo. Também para as empresas estatais.

Criou ainda diversos benefícios para os militares e seus familiares. Na Venezuela, existiam supermercados que só atendiam os militares. Prateleiras cheias. Sem faltar nada. Bem diferente dos mercados onde quase nada tinha.

No ano de 2015, o Presidente da Venezuela já era Nicolás Maduro. Segundo o motorista, os privilégios aumentaram mais ainda.

Enquanto eu ouvia o motorista, me perguntava: como os militares venezuelanos deixaram isso acontecer? Militares apartados da sociedade? Cadê o exemplo?

Voltamos ao Brasil

Participei de um almoço com empresários do Rio de Janeiro. Isto aconteceu em março de 2015. Um deles, que atuava no ramo de óleo e gás, me perguntou por que o Brasil não “virava” uma Venezuela.

Naquele ano, a Presidente Dilma acabara de ser reeleita. O seu segundo mandato não começou bem. Várias notícias destacavam o que se chamou de “fraude eleitoral”. A instabilidade política foi se agravando e culminou com o seu impeachment em agosto de 2016.

Respondi à pergunta do empresário dizendo que o Brasil não se tornaria uma Venezuela por causa das nossas Forças Armadas. Elas são um dos principais esteios da República brasileira.

Pulando para o mês de junho de 2020, outra vez me fazem a mesma pergunta de cinco anos atrás. Por que o Brasil não vira uma Venezuela? Não mais um empresário. São conhecidos, familiares e até pessoas que só tenho contato pelas redes sociais.

Ainda acredito que nossas Forças Armadas são os esteios desta nação. Porém, a imagem delas está cada vez mais associada ao governo federal. Não podemos concordar com esta associação. Ela está prejudicando a imagem e pode prejudicar o nível de credibilidade que a sociedade brasileira tem em seus militares.

Cadê o exemplo?

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

8 comentários em “Militares apartados da sociedade [Cadê o exemplo?]”

  1. A situação em que se encontra as lideranças civis no Brasil acaba por forçar o atual presidente a recorrer a liderança militar para compor seu ministério.
    Na minha humilde opinião a solução é usar a constituição, isto é, agir com rigor contra a anarquia que se instalou nos poderes legislativo e judiciário.

    1. Pois é, Valentim. Usar a Constituição é seguir o estado de direito brasileiro. Entendo que as Forças Armadas não se destinam a fazer um dos poderes se sobressair sobre os outros dois. Corremos o risco de perder a credibilidade perante a nação.

  2. Corremos o risco de perder o Brasil!
    O STF está criando um processo esdrúxulo para cancelar a diplomação do Presid. Bolsonaro e do General Mourão.
    Vão passar por cima de milhões de eleitores. Querem ganhar a partida no tapetão.
    Isto não é suficiente para que as Forças Armadas entrem, avalizando o Presidente e o Vice?
    Credibilidade é para ser usada em momentos como este.

    1. Ulysses, as Forças Armadas continuarão com a sua credibilidade na medida em que mantenham sua destinação constitucional. Além da defesa da pátria, são responsáveis por garantir os poderes constitucionais, e por iniciativa de um deles, a lei e a ordem.

  3. Em uma patria tao desgastada e tao sorratiada por uma classe politica que usa a politica com meio de vida e preservacao de sua especie atropelando valores e promessas de campanhas ….
    cade o exemplo ???

    Esta pergunta fica no ar nas familias de todo o Brasil

    Ai quando por meios democraticos pela primeira vez na nossa democracia juvenil a populacao clama por honestidade , credibilidade e patriotismo !!!
    A maioria escolhe um dos nossos pilares da sociedade , para gerencia e conduzir esta grande nacao para dias melhores …

    Surge a pergunta :

    Cade o exemplo ???

    Ai a resposta vem apesar de todas as sabotagens e desafios de nadar contra uma midia fatidica e um mecanismo.

    Vem o exemplo :

    Rodovias finalizadas.
    Estatais que pela primeira vez dao lucros.
    A Petrobras voltando a dar Lucros.
    Os valores a Deus e a Familia.
    A defesa da liberdade de expressao.
    Ao mercado livre com a finalidade de gerar empregos .
    Ao reconhecimento patriotico de dizer que o Brasil pode ser e e uma grande potencia e criar esperanca.
    Comer no bandejao
    Brigar pelo povo
    E tantos outros exemplos ….

    Mas fica a pergunta : Cade o exemplo ??

    Num mundo real o nosso povo tinha dois caminhos…

    Um era um louco que bateu na mesa e disse basta e vamos lutar pelo Brasil

    E

    E o outro um poste que ia no presidio pedir conselhos a um presidiario ..

    Eu fico com os nossos Militares pois deram o exemplo ate hj com todos os seus defeitos
    Mas acredito que seja a nossa unica instância que ainda pode dar o exemplo.

    E para finalizar eu ate entendo que alguns querem preservar a sua biografia porem neste momento
    A patria vem em primeiro LUGAR!!

    Brasil acima de tudo e Deus acima de todos!!🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷

  4. Raeteiramente falando em uma linguagem popular, o povo está desacreditado do STF esse seria pra analisar e dar um veredito mas não ,está dando ordens nos outros dois poderes Será que vocês militares não estão vendo isso que vai de encontro a constituição. Me pergunto cadê os , militares, não deixem fazerem com o nosso Brasil . Somos brasileiros e não desistimos nunca Cuidem da gente Srs. Militares.

Deixe uma resposta