Liderança 2030: novas tendências para novos tempos

Share

por Ronaldo Lundgren.

Funcionario Estrela

A Consultoria internacional Hay Group realizou um estudo intitulado “Liderança 2030“, onde identifica as principais tendências que marcação a gestão de pessoas nas próximas décadas, destacando quais serão as competências chave necessárias aos novos líderes nesses novos tempos.

As tendências examinadas afetam tanto as sociedades quanto aos governos e empresas, tendo um impacto significativo na liderança. Líderes precisarão ser flexíveis e ágeis para poderem guiar as organizações no caminho a novas estruturas, sistemas e processos.

Vejamos um resumo do trabalho Liderança 2030: novas tendências para novos tempos.

Resumo das tendências

  • Globalização 2.0 – na medida em que a globalização se acelera, o mundo dos negócios vai requerer, cada vez mais, equipes multidisciplinares. Ao mesmo tempo, a lealdade entre empregados e organizações irá decair. O equilíbrio de poder tenderá deslocar-se para a Ásia. Surgirá uma classe média global. A maior capacidade de interconexão aumentará a volatilidade nos mercados econômico.

          Impacto na Liderança: as empresas necessitarão ser mais ágeis. Deverão focar na colaboração, a fim de manejar a conexão entre o global e o local. Seus líderes deverão ser flexíveis, com mobilidade internacional e culturalmente sensíveis. Esses líderes deverão possuir capacidade de pensamento conceitual e estratégico, de modo a gerir os riscos e lidar com as incertezas associadas à globalização.

  • Mudança climática – o problema crescente das emissões de CO2 e o aquecimento global tenderá a agravar-se, devido ao impacto causado pelas nações em vias de desenvolvimento. A carência de recursos estratégicos, tais como água e alimentos (devido à escassez de água para irrigação), levarão a um aumento de preços, podendo gerar conflitos em algumas regiões.

          Impacto na Liderança: as organizações serão forçadas a reduzir seus danos ambientais, adaptando os os crescentes custos operacionais para conseguir maior sustentabilidade. Os líderes empresariais necessitarão de excelente capacidade cognitiva, de modo a permitir equilibrar a exigência do êxito financeiro, da responsabilidade social e o cuidado com o meio ambiente. Deverão atuar como agentes de mudança, propiciando práticas de negócios responsáveis em consonância com o meio ambiente.

  • Mudanças demográficas – no momento em que a população mundial cresce e envelhece, são produzidos desequilíbrios demográficos que levarão a carência de certas capacidades em algumas regiões, demandando migrantes já qualificados, em condições de trabalho.

          Impacto na Liderança: as organizações disputarão cada vez mais os melhores talentos, em virtude da baixa disponibilidade de pessoas com elevada capacidade. Caberá aos líderes atraírem, motivarem e reterem esses profissionais, com características sociais e culturais cada vez mais distintas.

  • Trabalho e estilo de vida digital – a tecnologia continuará reduzindo a distinção entre a fronteira da vida privada e a vida profissional. Haverá uma maior capacidade de gestão, transferindo o poder para os empregados que tenham maior capacidade digital. A crescente classe de trabalhadores do conhecimento poderá trabalhar em qualquer lugar.

          Impacto na Liderança: dado que as organizações se transformarão de maneira paulatina, os líderes deverão aproveitar o tempo para identificar e aproveitar as capacidades dos empregados que dominem o mundo digital, promovendo a interação deles com os demais funcionários.


Este post baseou-se no Artigo “Liderazgo 2030: Nuevas tendencias para los Nuevos Tiempos“.

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Deixe uma resposta