Alinhamento de valores

Share

por Marco Fabossi. (*)

valores2

Alinhamento de valores

Jim Sinegal, presidente da CostCo, uma das maiores redes varejistas do mundo, nos conta como sua empresa resolve o dilema entre dois valores aparentemente antagônicos: servir ao cliente e obter lucro.

Estávamos vendendo Jeans Calvin Klein a US$ 29,99 e as prateleiras se esvaziaram rapidamente. Um concorrente conseguiu igualar o nosso preço, mas tinha poucas peças em cada loja. Nós tínhamos de 500 a 600 peças por loja.
Repentinamente, conseguimos comprar um estoque de quatro milhões de calças a um preço excelente. Isso significa que, dentro da nossa política de margem de lucro que é limitada a 14%, deveríamos vendê-las a US$ 22,99. Ou seja, U$ 7,00 abaixo do preço que já estávamos vendendo rapidamente nosso estoque inicial.

Concluímos que poderíamos vender todo o estoque pelo preço mais alto tão rapidamente quanto se o preço fosse U$ 22,99. Contudo, não tivemos dúvida de que colocaríamos a mercadoria pelo preço mais baixo porque essa é a hierarquia de valores: servir ao cliente vem antes de obter lucro.

Seria muito simples para nós manter o preço mais alto e obter facilmente um lucro adicional de US$ 28 milhões, mas não fazemos isso porque é assim que honramos a confiança que os clientes depositam em nós”.

Nossos valores

Se a vida fosse uma estrada, os valores seriam as placas de sinalização, os avisos de alerta e as muretas de proteção que nos protegem dos atalhos indevidos, das curvas perigosas, dos retornos proibidos, evitando que entremos na contramão, ou até mesmo caiamos num abismo.

Teoricamente, nossos valores revelam aquilo que acreditamos e que nos faz agir do jeito que agimos. Na prática contudo, nem sempre isso acontece.

Em meus trabalhos de coaching é comum que os clientes mencionem Família, Saúde, Honestidade, Ética, Amor, Qualidade de Vida e Liberdade entre seus principais valores, mas quando lhes pergunto:

“Quanto você está vivendo este valor? De 1 a 10, que nota você daria para suas atitudes em relação a este valor? Quanto você está honrando este valor em sua vida?”. Em muitas ocasiões a nota é bem menor que 10.

Isso acontece porque nos distraímos com os problemas, com a carreira, com as oportunidades, com as metas, com a pressão do dia a dia. Enfim, nos distraímos e acostumamos com a vida. Sem perceber, sorrateiramente, vamos nos desviando daquilo que acreditamos. E acabamos deixando de lado as coisas e pessoas mais importantes pra nós, tornando-nos coadjuvantes de nossas próprias vidas.

Talvez não seja possível viver 100% dos nossos valores. Mas é muito possível buscarmos maior alinhamento entre o que acreditamos e as nossas ações, porque se isso não acontecer, a vida fica sem graça e “desvalorizada”.

Considerações finais

E então? Quais são os seus valores de vida? O que é realmente importante pra você? Quanto você está alinhado com eles? O que você precisa fazer para vivê-los em seu dia a dia?

Se não estivermos dispostos a pagar um preço por nossos valores, se não estivermos dispostos a fazer alguns sacrifícios para realizá-los, então deveríamos nos perguntar se realmente acreditamos neles“.
Barack Obama


(*) Marco Fabossi, alguém que, como você, busca agir com o Coração de Líder, e contribuir para a construção de um futuro melhor.

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Deixe uma resposta