[SUN TZU] Lições da Arte da Guerra para líderes

Share

[SUN TZU] Lições da Arte da Guerra para líderes

lições da arte da guerra

Bons líderes versus Maus líderes

As qualidades de um mau líder

Sun Tzu lista as seguintes cinco características que, se forem parte da personalidade de um líder, levarão à queda do exército:

1. Imprudência.

Líderes que avançam para lutar em todas as oportunidades e veem todas as situações como motivo de uma batalha, acabam matando seu exército.

2. Cautela excessiva.

Líderes que sempre evitam brigas, procuram a saída e estão preocupados com o desejo de voltar para casa com segurança, acabam sendo encurralados e capturados, porque o inimigo encontrará uma maneira de encurrala-los em uma armadilha.

3. Cabeça quente.

Líderes que se irritam facilmente podem ser levados a declarar guerra sem um plano em prática.

4. Vaidade.

Os líderes que têm alta auto-estima e desejam preservar sua nobre reputação a todo custo podem ser manipulados por meio de assassinatos e calúnias.

5. Compaixão Excessiva.

Os líderes que se preocupam demais com o bem-estar de seu povo podem perder de vista seus objetivos. Por mais difícil que pareça, você deve estar preparado para aceitar uma certa quantidade de dano colateral em uma campanha. Se o inimigo suspeitar que você está tentando evitar baixas, pode tentar manipulá-lo, alvejando civis, sabendo que isso o deixará confuso.

Essas cinco características existem em todos os seres humanos, mas nenhuma delas deve ser dominante. Não deixe sua personalidade se tornar um alvo óbvio para o inimigo.

Dica: Não aceite muito rápido uma batalha nem seja rápido para se retirar. Não se irrite com pressa nem dê muita importância a sua honra pessoal. Aprenda a aceitar que haverá baixas na guerra.

As qualidades de um bom líder

Sun Tzu diz que um exército deve ser comandado por uma única pessoa que faz com que cada soldado se sinta como se estivesse sendo liderado pessoalmente. É assim que o exército funciona como um.

O líder perfeito terá as seguintes qualidades:

1. Calma.

Um bom líder não é zangado nem enérgico. “Poder” não é “força” e um exército não pode ser mantido por muito tempo por meio de intimidação. Portanto, mantenha a calma a maior parte do tempo e só mostre os dentes quando for realmente necessário.

2. Imprevisibilidade.

Não faça a jogada óbvia e evite deixar um padrão em suas atividades passadas. O inimigo não deve ser capaz de identificar o que você fará no futuro com base no que você fez no passado. Não tome rotas previsíveis, mude sua posição no acampamento. . . mantenha o inimigo adivinhando.

3. Inescrutabilidade.

Você também precisa ser ilegível, para que, mesmo que um espião inimigo consiga se infiltrar no seu acampamento e o observe de perto, eles ainda não possam ler seus pensamentos.

4. Autodisciplina.

Há uma diferença entre obediência, disciplina e autodisciplina. Muitas pessoas são obedientes, algumas têm disciplina imposta a elas, mas poucas são autodisciplinadas. Enquanto outros descansam e relaxam, o bom líder trabalha e apenas descansa quando é a hora certa.

5. Sigilo.

Existe um delicado equilíbrio entre manter os planos em segredo e envolver sua equipe de comando. Muito segredo e a equipe de comando será alienada; muito pouco e planos serão vazados. Parece que Sun Tzu prefere mais sigilo e manter sua equipe de comando fiel de outras maneiras.

6. Liderando pelo exemplo.

Sempre esteja com suas tropas (mas talvez nem sempre na frente). Seja observável e ganhe o respeito dos soldados compartilhando suas dificuldades.

Sun Tzu usa várias imagens para sustentar seu argumento de que o comandante está “com as tropas”.

A primeira imagem que ele dá é do comandante liderando as tropas por uma escada que é chutada para longe, sem retorno. Alternativamente, o exército é representado como um grande rebanho de animais, movendo-se como o líder do centro, orientando-os de uma maneira que não pode ser prevista de fora.

Portanto, esteja com as tropas em todas as situações perigosas, mas permaneça desconhecido do inimigo.

7. Responsabilidade.

Como líder, você deve assumir com confiança a responsabilidade por toda a força. Esteja no centro de tudo e use suas tropas da maneira mais eficiente e com os melhores resultados.

Dica: Um líder perfeito é calmo, imprevisível, ilegível, autodisciplinado, discreto, está no meio disso com as tropas e está no comando total do centro.

Referência(s)

Lessons from The Art of War: Good Leaders vs. Bad Leaders. Este texto foi adaptado de “A arte final da guerra”, de Antony Cummins, na qual o autor fornece um breve resumo das qualidades que Sun Tzu achava que constituíam maus líderes versus bons líderes.

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Deixe uma resposta