As 10 qualidades que todo líder deve possuir

Share

As 10 qualidades que todo líder deve possuir

qualidades que todo líder deve possuir

O texto a seguir foi publicado em The Art of Manliness. É um trecho do Manual de Infantaria do Centro de Preparação dos Oficiais da Reserva dos EUA(*), do ano de 1942. Seria difícil encontrar um melhor resumo das principais qualidades de um líder.

Quais são as qualidades que todo líder deve possuir?

Há muitas tentativas de listar as boas qualidades que um líder deve possuir. Também, pesquisadores buscam as características indesejáveis. Aquelas ​​que o líder não deveria ter ou, se as tiver, pelo menos, minimizá-las.

Geralmente, essas listas servem apenas para desencorajar o aspirante à liderança. Isto porque, em suma, elas descrevem um ideal inatingível. No entanto, para moldar os esforços em seu auto-desenvolvimento, é necessário um guia a seguir. Só assim, é possível acompanhar o progresso na sua preparação para liderar, orientar e dirigir seus colaboradores. As qualidades aqui apresentadas são comprovadas por jovens que as seguiram e tiveram a oportunidade de testá-las em combate.

As qualidades do líder podem ser agrupadas de acordo com métodos diferentes. Elas podem ser separadas em características pessoais e capacidades profissionais. Podem também, ser classificadas como qualidades físicas, mentais e morais. E ainda, serem consideradas como aquelas qualidades relacionadas ao próprio líder e aquelas relacionadas aos indivíduos que ele aspira liderar.

Apenas listar as qualidades desejáveis ​​de um líder seria pouco efetivo. Porém, entender o conceito de algumas dessas qualidades servirá para dois propósitos importantes:

  • ilustrar as características pelas quais devemos observar nos outros; e
  • nos esforçar para desenvolvê-las em nós mesmos, a fim de nos prepararmos para sermos melhores líderes.

Vejamos então, essas qualidades

Lealdade

Nenhuma qualidade é mais importante que a lealdade. É essencial tanto para o líder quanto para o seguidor, pois funciona dos dois lados do indivíduo. A lealdade para baixo não é menos importante do que a lealdade para cima.

A lealdade gera lealdade. Um evidente senso de devoção aos interesses de seus seguidores por parte de um líder é garantia de cooperação fiel e voluntária de sua parte.

Simplicidade

Ser simples é não complicar. Muitas vezes, a falta de simplicidade é fruto da ignorância profissional. É falta de autoconfiança. E ela se manifesta por uma tentativa de escondê-las por ordens, explicações ou condutas vagas e complicadas.

Os melhores resultados no desempenho de uma tarefa são obtidos por métodos simples e diretos. Onde o fim a ser alcançado e os meios para esse fim são claramente entendidos pelo líder. E, depois, através de seus esforços, claramente compreendidos por seus homens.

Autocontrole

Ninguém pode liderar os outros até que ele possa se controlar adequadamente. Somos rápidos em perceber a maestria no homem que pode dominar a si mesmo. O líder que, quando comete erros, perde a paciência e grita com seus subordinados, sacrifica em grande medida a cooperação voluntária deles no trabalho em equipe.

Tato

Ter tato é possuir um senso de adequação das coisas, de quando e como agir. É um lubrificante inestimável para a conduta das relações humanas. Quando falta tato, desenvolve-se fricção na equipe, tornando-a menos eficiente. Para ter tato, necessita-se da simpatia, gentileza, generosidade e respeito aos direitos dos outros. O tato contribui para obter o desempenho alegre e sincero dos colaboradores.

Energia, Entusiasmo, Diligência

A inação diante de uma situação que requer medidas positivas produz fracasso. Ter capacidade e não possuir vontade acarreta insucesso. Muitos líderes medíocres conseguiram êxito por pura energia e perseverança. Esta qualidade permite liderar os outros na realização de um fim comum.

O entusiasmo gera entusiasmo. Também incita outros a esforços dos quais, de outra forma, não se sentiriam capazes. Um homem só está derrotado quando ele assim se sente. Frequentemente, a derrota iminente foi transformada em vitória através da inspiração enérgica e entusiástica fornecida pelo líder.

Senso Comum, Julgamento, Perspicácia

Costuma-se dizer que o senso comum é um dos atributos mais incomuns do indivíduo. Mas o exercício do bom senso é, em grande parte, a base da liderança ativa. Conhecimento é o pano de fundo do senso comum e julgamento. A perspicácia denota rapidez de percepção, agudeza de discernimento e talento na dedução. O líder que antecipa o que seus companheiros farão sob certas circunstâncias, possui qualidades que o colocam em um alto nível de liderança.

Sinceridade

Sinceridade de propósito, como entusiasmo, em um líder é logo transmitida àqueles a quem ele deseja liderar. Falsidade, hipocrisia e blefe são facilmente desmascarados. Aquele que tenta esconder sua ignorância ou ocultar seus erros logo será “destronado”. E pior, deixará de ser aceito pelos companheiros de equipe.

Justiça e imparcialidade

Um senso de justiça e a vontade de ser justo e imparcial com todos os colaboradores são essenciais ao líder. O grau de respeito, de admiração e até mesmo de afeição que os liderados dedicam ao líder, é medido pela fé que eles têm nele.

Essa dedicação  é, em grande medida, determinada por seu senso de justiça e de imparcialidade. Em pequenas coisas, mais do que em grandes coisas, o efeito desmoralizante da parcialidade ou injustiça se faz sentir. A justiça, no entanto, não exige uma tirania dominadora, intimidadora ou agressiva.

Geralmente, essas são indicações de incompetência ou falta de fé secretamente admitidas em seu próprio julgamento ou decisão. Tais medidas são destrutivas em vez de corretivas. Nem é necessário ou desejável, a fim de ser justo, ser excessivamente tolerante, negligente ou persuasivo, pois essas qualidades corromperão rapidamente uma organização por falta de respeito. Mesmo um tolo pode derrubar, mas é preciso um homem de mente e caráter para construir.

Disposição para aceitar a responsabilidade

A vontade de aceitar a responsabilidade é o principal traço de liderança. Responsabilidade em agir, mesmo que o resultado não seja o melhor. Todo líder deve sempre lembrar que a inação e a perda de oportunidades são piores do que um erro na execução de uma decisão tomada. O critério pelo qual um líder julga a solidez de sua própria decisão é se ele irá promover as intenções do seu líder superior.

Iniciativa e Visão

A fim de ter uma disposição para aceitar a responsabilidade, o indivíduo deve ter iniciativa e visão. Muitas causas foram perdidas por falta de previsão e visão por parte dos responsáveis ​​pela programação do caminho a ser seguido. Muitos insucessos acontecem porque o encarregado não fez nada. É muito melhor fazer qualquer coisa inteligente, com vontade, do que esperar pela solução ideal. Isto exige iniciativa, bem como a disposição para aceitar a responsabilidade e agir.

Organizações e grupos de indivíduos, freqüentemente, exibem uma acomodação com a situação. Não querem mudanças. Permanecem em repouso ou continuam na mesma direção. Só acontece alteração quando o líder a provoca. Imaginação e criatividade da mente são atributos que facilitam o exercício da iniciativa e visão.

Considerações finais

As qualidades apresentadas servem para o estudo do indivíduo que aspira a se tornar um líder. Esta é apenas uma abordagem. Existem centenas de abordagens. Contudo, acredito que, uma análise cuidadosa e a aplicação dessas qualidades, permitirão que você se torne um líder. 

Em suma, cada indivíduo possui qualidades inerentes que podem ser moldadas em liderança. Alguns acham mais difícil alcançar do que outros, mas todos os líderes têm uma característica em comum: o desejo inalterável de se tornar um líder.

Referências

The Art of Manliness – “The 45 Qualities Every True Leader Must Have”.

(*) ROTC – Reserve Officers’ Training Corps (ROTC) are a group of college and university-based officer training programs for training commissioned officers of the United States Armed Forces. (Os Corpos de Treinamento de Oficiais de Reserva (ROTC) são um grupo de programas de preparação de estudantes universitários para se tornarem oficiais comissionados das Forças Armadas dos Estados Unidos).

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Deixe uma resposta