A mágica de acreditar

Share

por Ronaldo Lundgren.

“Você precisa de uma crença teimosa em uma idéia, a fim de vê-la realizada.” – James Dyson

O que é o pensamento? Além de ser uma atividade mental, o pensamento também é eletricidade.

Vemos suas manifestações por toda parte. Quanto mais contemplamos e estudamos o pensamento, mais verificamos sua enorme força e seus poderes ilimitados.

Pensamento

Olhe ao seu redor. Se você está em um quarto, enquanto lê este post, seus olhos lhe dirão que você está vendo uma série de objetos inanimados. Mesa, cadeiras, computador, smartphone, janela, cortina, livros, etc.

Isto é verdade no que concerne à percepção visual. Mas, na realidade você está vendo pensamentos ou ideias que se materializaram através do trabalho criador de algum ser humano.

Originariamente, foi o pensamento que criou a mobília, modelou o vidro da janela, construiu o computador.

Tudo o que o homem cria tem uma única fonte: o pensamento.

Mais ainda: a origem de toda ação humana é o pensamento. Para Buda, “tudo o que somos é o resultado do que pensamos“.

Sua própria vida é o seu pensamento e o resultado dos seus processos de pensar.

Sua carne, ossos e músculos podem ser reduzidos a 70% de água e algumas substâncias químicas de pouco valor, mas é a sua mente e o que você pensa que faz você ser o que é.

O segredo do sucesso não está fora, mas dentro de seus pensamentos.

Você não come, não se veste, não corre para tomar um ônibus, não dirige seu automóvel, não sai para passear ou não lê um jornal, nem mesmo levanta um braço, sem preceder tudo isso de um impulso mental.

Pode até parecer que seus movimentos e atos são automáticos, causados por alguns reflexos físicos. Porém, a energia mental está por trás.

O próprio modo de andar, de se portar, de falar, de se vestir, tudo isso reflete sua maneira de pensar. O que você mostra exteriormente, é internamente.

Você é o produto de seu próprio pensamento. Você é o que acredita ser.

Seus pensamentos, aqueles que predominam, determinam seu caráter, sua carreira, na verdade sua vida diária.

A mágica de acreditar

Ciente da força e da importância do pensamento, vale dizer que apenas o trabalho persistente não traz o sucesso.

O mundo está cheio de gente que trabalhou exaustivamente e que pouco conseguiu na vida. É necessário algo mais do que o trabalho. É o pensamento criador e a firme crença na sua capacidade de executar as ideias que constituem a mágica de acreditar.

Pensamento2

Para se obter o sucesso é imprescindível que você saiba exatamente o que deseja da vida. Precisa saber para onde vai e deve manter um objetivo fixo em vista.

Então, determine com precisão o que você deseja. Não seja vago. Querer ter sucesso é apenas uma ideia geral. Você deve ter um quadro bem delineado em seu cérebro. Interrogue-se:

  • Para onde desejo ir?
  • Qual é o meu objetivo?
  • Sei o que realmente desejo?
  • Quanto desejo ganhar de salário por mês?

O segredo é a alma do negócio.

Depois de definir o que você deseja, não fique divulgando ou fazendo propaganda. Quando você conta o que vai fazer dispersa suas forças. Visualize seu desejo. Forme um quadro, uma imagem daquilo que você quer. Pense nisso. E guarde para si.

Tudo o que uma pessoa tem a fazer é acreditar, firme e sinceramente, que existe o poder da mente.

Sei que é difícil para a maioria das pessoas aceitar a ideia de que tudo existe interiormente. Mesmo o indivíduo mais materialista deve compreender que nada existe no plano exterior a não ser que ele tenha tomado conhecimento ou o tenha fixado no seu consciente.

É a imagem criada em sua mente que confere realidade ao seu mundo exterior.

E você, em que acredita?


Este post baseou-se no livro “A força mágica da vontade”, de Claude M. Bristol.

Quando a liderança causa doença no ambiente de trabalho

Share

por Ronaldo Lundgren.

Quando a liderança causa doença

Atitudes negativas do líder têm causado doenças no ambiente de trabalho. Desmotivação, estresse, angústia, problemas gástricos, absenteísmo são diagnósticos apontados pela medicina laboral. Normalmente, estão associados à atitude da liderança na organização.

Este post baseou-se no artigo “IMPACTOS DAS ATITUDES NEGATIVAS DOS LIDERES SOBRE OS LIDERADOS”, de Valdemir Bueno, publicado na Revista NPI/FMR – Núcleo de Pesquisa Interdisciplinar.

Atitudes negativas do líder

Arrogância

Arrogancia

Arrogância é a qualidade ou caráter de quem, por suposta superioridade moral, social, intelectual ou de comportamento, assume atitude prepotente ou de desprezo com relação aos outros.

Um líder arrogante, jamais reconhece seu erro. Assim como não reconhece as qualidades de seus liderados, provocando a desmotivação. Quando o líder se coloca muito acima de seus liderados, desprezando suas ideias, seus talentos, ele vai inibir e impedir o desenvolvimento da equipe.

Agressividade

AgressividadeSentimento que visa provocar o outro, ferindo-o na sua auto-estima.  Normalmente, é manifestada pela violência psicológica ou mental no trabalho, pela humilhação e constrangimento. Esse tipo de atitude causa a insegurança e o medo.

Um dos principais problemas causado pela agressividade é o chamado “assédio moral”, que acaba com a auto-estima do agredido. Provoca problemas físicos, psicológicos e até financeiros. Além da queda de desempenho do indivíduo, do absenteísmo e da rotatividade, as organizações estão sujeitas a processos judiciais, que podem gerar indenizações por danos morais e materiais.

Desonestidade

DesonestidadeUm líder deve atrair seguidores. Para isso, precisa ser admirado e respeitado. Se possuir um caráter duvidoso, despertará a desconfiança. Num ambiente onde prevalece a desconfiança, é impossível manter a harmonia e a motivação da equipe, pois a desonestidade destrói os relacionamentos.

Irresponsabilidade

Falta de comprometimento do líder, que não assume seu papel, transferindo a responsabilidade para outros. A irresponsabilidade se manifesta quando o líder não busca soluções para os problemas, somente busca culpados, sem reconhecer o seu erro.

Essa atitude acaba bloqueando o desenvolvimento da equipe, pois o liderado, para não correr risco de errar e sofrer sanções com o erro, somente realiza suas tarefas sem apresentar novas ideias. Por que correr risco, se a gloria sempre será do líder e a culpa será sempre de quem ofereceu a ideia ou executou a tarefa? Quem irá correr risco, se a corda arrebenta sempre para o lado mais fraco?

Bajulação

BajulacaoGostar de ser bajulado e recompensar o funcionário bajulador que, muitas vezes, não demonstra possuir competência, causa intrigas no ambiente de trabalho. Além da desmotivação que vai se propagar pela equipe, alguns colaboradores têm a saúde  impactada ao perceberem as injustiças que são cometidas.

Omissão

Um dos maiores pecados corporativos é a falta de atitude do líder diante de problemas que precisam de sua decisão.  Um líder omisso não reconhece o valor de seus liderados e só lembra deles quando algo de errado acontece.

Pessimismo

Pessimismo

É um estado de espírito com tendência para encarar tudo pelo lado negativo. Um líder pessimista desmotiva a equipe e faz com que as organizações percam muitas oportunidades de melhoria. Ao desacreditar nas sugestões apresentadas pelos funcionários, o líder contagia os colaboradores, tornando o ambiente organizacional negativo, perdendo oportunidades para a concorrência.

Perfeccionismo

PerfeccionismoSer perfeccionista é ter a tendência exagerada para atingir a perfeição na realização de algo. Importante destacar que focar demasiadamente nos detalhes de execução de uma tarefa, não fará o resultado ser muito melhor. Por outro lado, o funcionário vai ser submetido ao estresse, angústia e insegurança  de maneira desnecessária, reduzindo sua produtividade.

Centralização

O líder centralizador, por medo de delegar funções e dividir poder, compromete a maior parte de seu tempo com tarefas que poderiam ser delegadas a outras pessoas da equipe. Como tende a puxar para si as tarefas, acaba inibindo o crescimento da equipe, causando a desmotivação e a falta de comprometimento.Centralizacao

A sobrecarga de trabalho que a centralização impõe ao líder prejudica sua vida familiar, sua saúde física e mental, refletindo nos demais funcionários.

Hora de agir

Se você gostou e acha que este artigo pode ajudar mais alguém, compartilhe. Outros líderes necessitam também de auxílio.

O artigo As 15 doenças de liderança traz boas dicas do Papa Francisco sobre o mesmo assunto.

(*) Valdemir Bueno. IMPACTOS DAS ATITUDES NEGATIVAS DOS LÍDERES SOBRE OS LIDERADOS.

Frases de líderes brasileiros

Share

por Ronaldo Lundgren.

Frases de líderes brasileiros

É fácil encontrarmos líderes estrangeiros. É fácil repetir frases que eles falaram.

Embora a liderança seja uma capacidade universal, precisamos identificar e aprender com nossos líderes.

O desafio que lhe proponho é o de complementar algumas frases de líderes brasileiros. Você topa?

Muitas vezes nos valemos de frases de pessoas reconhecidamente influentes para buscarmos motivação.

A proposta deste post é destacar frases de líderes brasileiros, abordando diversas situações que já inspiraram nossos compatriotas na sua época.


frases de líderes brasileiros

Liderança não é uma coisa que você herda. A gente não nasce líder, ao contrário, a gente escolhe ser líder e depois conquista. (Abílio Diniz)

frases de líderes brasileiros

Se todos quisermos, poderemos fazer deste país uma grande nação. Vamos fazê-la. (Tiradentes)

 


frases de líderes brasileiros

Farei quanto em minhas mãos estiver para que se consolidem os ideais do movimento cívico da nação brasileira nestes dias memoráveis de abril, quando se levantou unida, esplêndida de coragem e decisão, para restaurar a democracia e libertá-la de quantas fraudes e distorções a tornavam irreconhecível.(Castelo Branco)

frases de líderes brasileiros

O Brasil vai viver 50 anos em 5. (Juscelino Kubitscheck)

 

 


frases de líderes brasileiros

O dia de amanhã ninguém usou. Pode ser seu. (Pagano Sobrinho, ator e apresentador de programas de rádio e TV nas décadas de 1950 e 1960)

 

 


frases de líderes brasileiros

Quando a gente acha que tem todas as respostas, vem a vida e muda todas as perguntas". (Luís Fernando Veríssimo, escritor e cronista brasileiro)

frases de líderes brasileiros

Digam ao povo brasileiro que a República está feita. (Marechal Deodoro da Fonseca)

 

 


frases de líderes brasileiros

Sigam-me os que forem brasileiros. (Duque de Caxias)

 

 

 

 


frases de líderes brasileiros

O sonho é que leva a gente para a frente. Se a gente for seguir a razão, fica aquietado, acomodado. (Ariano Suassuna)


Você conhece alguma frase dita por um brasileiro que pode nos motivar? Compartilhe. Envie sua frase.

Uma visita ao Vale do Silício na Califórnia

Share

Uma visita ao Vale do Silício na Califórnia

por Ronaldo Lundgren.

O Vale do Silício na Califórnia é conhecido por abrigar várias empresas de base tecnológica. Lá, você encontra: Google, Yahoo, Skype, Evernote, Xerox, HP, Facebook e outras tantas.

Tive a oportunidade de percorrer o distrito industrial de Palo Alto (Stanford Research Park), concentrando a atenção nos quarteis-generais da HP e do Facebook – que fica mais afastado, localizado em Menlo Park. Certas impressões que colhi podem ajudar a entender alguns fundamentos da liderança praticada nessas empresas.

Partindo da cidade de São Francisco rumo ao sul, cerca de uma hora depois chega-se em Palo Alto, município que abriga a Universidade de Stanford. E é na universidade que tudo começou.

IMG_0423

Conhecendo a Hewlett-Packard

No final dos anos 1930, o professor Frederick Terman encorajava seus alunos a abrirem (start up) suas próprias companhias eletrônicas na área, ao invés de procurarem emprego em grandes empresas localizadas na costa Leste dos Estados Unidos.

IMG_0424Dois desses alunos, William Hewlett e David Packard (HP), acreditaram no professor e, em 1938, desenvolveram um oscilador de áudio na garagem de uma casa. Tal equipamento eletrônico já existia no mercado. Porém, conseguiram baratea-lo, ganhando espaço entre os concorrentes.

Cerca de 20 anos depois, a HP veio se instalar no distrito industrial, onde está até hoje. Embora tenha ampliado sua linha de produtos e serviços, manteve-se no ramo da eletrônica.

Em sua sede, encontram-se os escritórios dos fundadores, que permanecem mobiliados e organizados como eles deixaram. Nesse local estão dois importantes símbolos da cultura organizacional da empresa.

IMG_6198
Vista do escritório de Hewlett, a partir da mesa de Packard.

O primeiro, é traduzido como a “Política de portas abertas“. Qualquer funcionário tem acesso aos dirigentes da HP. Para demonstrar o que tinham em mente, além de manterem suas portas sempre abertas, Hewlett e Packard construíram suas salas lado-a-lado, com uma porta entre elas, e posicionaram suas mesas de modo que um pudesse ver e falar com o outro quando quisessem.

O segundo símbolo foi criado a partir de uma situação envolvendo Hewlett e sua secretária. Contam que ele deixou uma moeda de um centavo em cima de sua mesa e disse para a secretária:

  • “Veja. Vou deixar essa moeda aqui na mesa e tenho certeza que algum funcionário vai pegá-la.” A secretária rebateu:

  • “Isso não vai acontecer. Todos aqui trabalham satisfeitos e lhe respeitam. Não vão roubar seu dinheiro.”

Essa conversa se espalhou pela empresa, gerando um movimento espontâneo com forte significado. Individualmente, vários funcionários passaram a deixar uma moeda na mesa de Hewlett, demonstrando que eles não estavam ali para sugar a HP. Ao contrário, poderiam contribuir muito mais do que apenas dedicar horas de suas vidas ao trabalho.

IMG_6201
Moedas sobre a mesa de Hewlett.

A empresa possui baldes cheios dessas moedas, preservando-as como símbolo do compromisso de seus colaboradores. Na mesa de Hewlett, ainda estão várias moedas, que continuam sendo colocadas por funcionários, fornecedores e clientes.

 

 

 

Na sede do Facebook

Facebook1

Quando penso em empresas de informática de alta tecnologia, costumo imaginar um local de jovens inteligentes, cheios de vida, dinâmicos, desenvolvendo novas ideias, prontos para explodirem com algo novo, que venha a atender uma necessidade de que nem nós mesmos sabíamos que precisávamos. O Facebook se enquadra nesse meu imaginário.

Tendo como guia um amigo programador brasileiro, que trabalha no Facebook há mais de dois anos, percorremos alguns blocos da empresa e a imagem que eu tinha foi, inicialmente, se confirmando.

Jovens percorrendo as ruas de uma “quase cidade”. Vários restaurantes, lojas, lanchonetes, salões de beleza, salas de videogame. Fazendo parte deste contexto, encontram-se alguns locais de trabalho, salas de reunião e laboratórios. Tudo bem amplo e com vistas para a rua principal do complexo. Vários serviços são oferecidos gratuitamente. Inclusive para visitantes que estejam a convite de funcionários da empresa.

No decorrer da visita, meu amigo foi me ajudando a entender aquela forma de trabalhar.

Começando pelo processo de seleção de pessoal. Pessoas de qualquer lugar do mundo podem se candidatar a uma vaga de trabalho no Facebook. Além dessa fonte, universitários que se destacam são procurados antes mesmo de concluírem seus cursos. Com isso, a empresa tem a oportunidade de escolher seus funcionários entre os melhores especialistas que há em cada área.

O salário e os benefícios oferecidos são adequados ao mercado, permitindo uma boa qualidade de vida, mesmo em uma região com custos tão elevados como é o Vale do Silício.

Mesmo sabendo que o processo seletivo funciona como um filtro onde só passam aqueles que mais interessam à empresa, o Facebook adota uma política de avaliação de pessoal bem abrangente. A cada 6 meses o funcionário é avaliado por até quatro outros funcionários, sendo o chefe um deles. As outras três avaliações são feitas por pessoas indicadas pelo avaliado. Normalmente, são indicados os colegas que realizaram um trabalho em conjunto no período. Por fim, o próprio avaliado realiza sua autoavaliação.

São várias as pautas avaliadas, grupadas sob dois grandes conjuntos: aquilo que está bem; e aquilo que precisa melhorar. Os resultados das avaliações são consolidados e os dados servem para acompanhar o desempenho de cada colaborador. Daí, são indicados aumentos salariais, promoções, bônus ou programas de treinamento. Então, não dá para se acomodar.

Alta tecnologia e liderança

Tomando esses quatro aspectos: seleção de pessoal; política de portas abertas; avaliação de desempenho; e criação de um sentimento de compromisso com a empresa, percebe-se que os princípios de uma boa liderança continuam válidos para qualquer tipo de organização.

Aprender a virar o jogo e ser feliz

Share

por Leila Navarro.(*)

Felicidade

Aprender a virar o jogo e ser feliz, muito feliz!

A felicidade é uma habilidade que pode ser aprendida, desenvolvida, aprimorada, gerenciada em todas as áreas da vida. Ser feliz não é um “faz de conta”! A felicidade está associada a características como alegria, criatividade, autoestima, assertividade e pessoas com essas condições têm posicionamento e atitudes diferenciadas:

  • São mais rápidas para tomar decisões importantes;
  • São menos afetadas por doenças e acidentes;
  • Têm mais amigos e levam uma vida social mais saudável;
  • São mais criativas e produtivas;
  • São menos egoístas e mais solidárias;
  • São menos reativas e mais proativas;
  • E, importantíssimo, reagem positivamente às situações de adversidade e têm controle sobre o seu estado de espírito – afinal, também podem ser afetadas pela TPM hormonal, pelo trânsito, por uma demissão inesperada.

Novas pesquisas têm mostrado que não são as nossas conquistas, o nosso esforço, as nossas realizações que nos tornam felizes. É o oposto. É a felicidade que, em grande parte, determina nossas conquistas. Pessoas felizes têm mais capacidade de perseguir seus objetivos e adquirir os meios de conquistá-los. Elas também costumam ser mais confiantes, otimistas, energéticas e sociáveis, e estão mais preparadas para enfrentar situações difíceis. Pessoas felizes tendem a ter relacionamentos mais longos, casamentos melhores, ser mais saudáveis e viver mais.

Você chegou até aqui e isso indica que, muito provavelmente, deseja dar uma virada de jogo na sua vida. E, para que isso aconteça não é necessário que esteja passando por um momento de crise ou de dificuldade. Não! A sua vida pode estar em uma fase muito legal, mas tudo, absolutamente tudo pode melhorar. Cada um de nós tem competências e habilidades que podem ser exploradas para nosso próprio bem e para o bem das pessoas que nos cercam.

Daqui por diante eu espero que você se questione todos os dias: “O que estou fazendo me dá satisfação, me faz feliz?”, porque, enquanto houver satisfação, a vida flui bem. Por outro lado, se não houver, algo precisa mudar e a pergunta o ajudará a descobrir o que é. Há quem jamais deixa de agradecer pelo pão nosso de cada dia. Além de agradecer, acho importante fazer a pergunta nossa de cada dia. Quem se questiona está acordado, vivo, consciente. E, quem se mantém consciente da sua realidade está melhor preparado para virar o jogo quantas vezes for necessário! Vire o jogo e seja feliz, muito feliz!


(*) Leila Navarro é palestrante motivacional.

8 técnicas que os grandes líderes usam para motivar pessoas

Share

por Ricardo Tocha.*

Lider 1

Em uma empresa, é muito comum que funcionários esperem por alguma aprovação na execução de um trabalho. Eles querem sentir que suas contribuições estão sendo notadas no cotidiano da companhia.

Ao mesmo tempo, líderes tentam fazer com que os seus empregados se sintam entusiasmados. É importante também, que se sintam seguros de que o trabalho que eles vêm executando tem bastante valor para o empreendimento.

É por isso que a relação entre funcionários e chefes é bastante importante. Uma equipe motivada e inspirada reflete no sucesso da implementação de qualquer sistema de gestão. Estes sistemas exigem que os funcionários estejam cientes e comprometidos com todas as mudanças que ocorrerão na empresa. Para que a relação empregado/empregador produza bons frutos, líderes precisam de uma estratégia de motivação clara e definida. Devem ter em mente que é preciso manter sempre vivo o espírito de entusiasmo entre funcionários.

8 técnicas que os grandes líderes usam para motivar pessoas 

1. Tenha boas histórias

Segundo o livro Leading Minds, do psicólogo Howard Gardner, um ser humano começa a compreender o mundo ao seu redor por volta dos 5 anos de idade, por meio das histórias que lhe são contadas. À medida que as pessoas amadurecem, suas visões de mundo tornam-se mais complexas. Porém, sua capacidade de assimilar narrativas nunca se perde. Logo, um líder bem sucedido é também um bom contador de histórias, pois ele as usa para criar argumentos para convencer uma audiência – seja sobre um programa, política, um plano, etc.

2. Entenda as motivações individuais

A padronização de um discurso ou ação motivacional pode não funcionar da maneira que você espera. Cada indivíduo vai receber e perceber o discurso à sua maneira. Encontre maneiras de conversar com a individualidade de cada um da sua equipe e os motive dessa forma.

3. Pense no futuro

Você faz investimentos em sua empresa pensando no futuro dela, certo? Assim também é com a sua equipe. Os funcionários trabalham com expectativas para o próprio futuro. Grandes líderes lembram disso ao pensar estratégias de motivação, pois elas estão sempre ligadas a ideia de que algo melhor está por vir.

4. Não fale o que você acha que esperam ouvir de você

Grandes líderes entendem que não se deve falar apenas o que as pessoas querem ouvir. Ao falar apenas o que convém, você pode estar criando uma situação de conforto em curto prazo. Estará “empurrando” um problema para o futuro. Se tomarmos, por exemplo, um elogio impensado e mentiroso que você fez a um funcionário só porque pensou que o deixaria animado, quando a verdade vir à tona, ele se sentirá ainda mais desmotivado, e o pior, perderá a confiança na sua palavra. Portanto, seja transparente.

5. Reconheça as boas atitudes

Grandes líderes costumam demonstrar respeito e admiração pelos trabalhos de suas equipes. Reconheça as qualidades dos seus colaboradores, e mais do que isso, estabeleça regras para quando esse reconhecimento é merecido.

6. Apresente desafios

As pessoas não desenvolvem novos talentos se continuam fazendo a mesma coisa de sempre. Estimule novas habilidades ao apresentar tarefas desafiadoras, que tenham ligação direta com o que sua equipe costuma desenvolver normalmente.

7. Encoraje soluções criativas

Por vezes, dar a liberdade para que a sua equipe escolha o seu próprio jeito de resolver pequenos problemas é a melhor forma de mantê-la motivada. Grandes empresas têm como lema “pense fora da caixa”, algo que você deveria trabalhar em sua empresa também.

8. Finalmente, comunique-se!

Para que uma equipe esteja plenamente motivada, é preciso que ela confie na figura do seu líder. E para que haja esta confiança, é preciso comunicação. Grandes líderes dão abertura para que as equipes sintam-se à vontade para dialogar e expor ideias. E vale lembrar que é somente com uma boa comunicação que as suas ideias e planos chegarão a todas as áreas da sua empresa, garantindo o envolvimento de todos nos processos de mudança.

Considerações finais

Um bom líder faz toda a diferença na cultura da empresa porque é ele quem faz com que os funcionários se sintam importantes e valorizados. Ouça, mostre respeito, e comunique-se com seus funcionários: você vai ver que a motivação deles só tem a beneficiar a sua empresa.


(*) Ricardo Tocha é responsável pela experiência do cliente da Templum Consultoria. Turbinado por xícaras e xícaras de café ele passa seus dias avaliando os resultados da consultoria e buscando formas de aumentar a satisfação de seus clientes. Apesar da correria, ele ainda arruma tempo para trocar fraldas de sua filha e tocar baixo com o Fred Jorge e os Maiorais.

O papel do líder na motivação de equipe

Share

por Ronaldo Lundgren.

Trabalho em GrupoO papel do líder na motivação de equipe

Segundo Stephen Robbins, liderança é a capacidade de influenciar o grupo para alcançar as metas estabelecidas. A liderança pode ser formal ou não. Ela é formal quando é exercida por um alto cargo na organização. A liderança informal pode ser entendida como aquela exercida por alguém que não ocupa um cargo na hierarquia da empresa.

Qual é o papel do líder na motivação de equipe para o alcance de metas organizacionais?

Entender o que eles querem

O que sua equipe quer? Descubra o que cada um precisa para ser motivado. Qual o objetivo de vida de cada um deles? Isso é função de líder. Mostre para sua equipe que você acredita em cada um deles porque os conhece.

Escutar o que eles falam

Caminhe pela empresa. Não fique preso à rotina burocrática do escritório. Vá até ao local do cafezinho para conversar. Pergunte o que eles almejam em suas respectivas carreiras. Onde eles querem estar daqui a 1 ano ou daqui a 10 anos? Escutar atentamente possibilita que o líder oriente cada indivíduo.

Liderar pelo exemplo

“A palavra convence. O exemplo arrasta.” As pessoas estão sempre observando o líder. O que ele(a) faz ou deixa de fazer. Como reage. Como se veste. Atitudes contam mais do que discursos. Querendo ou não, você serve como modelo para sua equipe. Se espera que a equipe seja a melhor, seja você mesmo o melhor líder que puder.

Aumentar salário não é tudo

Dinheiro não é tudo. Embora seja uma das fontes de motivação. Sua equipe, contudo, espera outros tipos de reconhecimento. Algumas estratégias de motivação podem ser implementadas, levando em consideração as diferenças individuais.

Estratégias de motivação

Programa de reconhecimento dos funcionários – o reconhecimento está relacionado à teoria do reforço, que recompensa um comportamento com o reconhecimento, logo após sua ocorrência. O reconhecimento se dá de várias formas: um cumprimento; um e-mail, elogiando o desempenho, para reforço da coesão e motivação em equipes; uma celebração ou festa, que torna visível o sucesso do grupo; um elogio; um agradecimento em público ou em particular; e até premiações.

Programa de capacitação e treinamento – o treinamento e capacitação em cursos que estimulam a motivação é fator primordial de sucesso. Segundo Idalberto Chiavenato, “[…] para serem bem sucedidas, as organizações precisam de pessoas espertas, ágeis, empreendedoras e dispostas a assumir risco”. Portanto, são as pessoas que fazem as coisas acontecer. Considerando ser essencial o treinamento e o desenvolvimento das pessoas.

Programa para a liderança – o líder pode provocar a motivação através de estímulos que compensem o desempenho obtido. Para Sylvia Vergara, um líder pode motivar desafiando as pessoas, pois todos possuem potencial; comunicando os padrões da empresa; comunicando-se; estimulando o desenvolvimento; levando o funcionário a se orgulhar da execução que lhe é pertinente; elogiando, incentivando, confiando nas pessoas; sendo solidário; permitindo que as pessoas expressem seus sentimentos.

Considerações finais

Existem diferentes formas de estimular a motivação. O indivíduo é motivado conforme suas necessidades. Ao líder compete utilizar-se de diferentes recursos e ferramentas disponíveis, reconhecendo a capacidade de cada um, de modo que desenvolva suas habilidades e valorize seu desempenho, visando os objetivos da empresa e suas metas pessoais.

O papel da liderança na motivação é fundamental. A motivação necessita de estímulos do ambiente e das políticas da empresa. Cabe ao líder atuar reconhecendo o trabalho realizado e o esforço dispensado; respeitando os limites de cada indivíduo; sendo solidário e atento ao sentimento alheio, reconhecendo-o como ser humano; educando pelo exemplo; não constrangendo as pessoas; comportando-se em conformidade com seu discurso.


(*) Este post utilizou dados do artigo “O papel da liderança na motivação de equipe”, de Miriam Nepomuceno Rosa Borlot e Ronaldo Marques.

Pressão no ambiente de trabalho

Share

por Alda Andrade.*

Pressao no Trabalho

A verdadeira medida de um homem não é como ele se comporta em momentos de conforto e convivência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio.

Horários rígidos a serem cumpridos e muitas vezes extrapolá-los; metas a cumprir; mercado de trabalho e sua competitividade; quadro de pessoal reduzido por conta da crise que atravessa o país; sem falar em chefes que não desenvolvem a empatia, não se sensibilizando com os problemas peculiares a todos nós.

Como lidar com essa pressão?

Adversidades como essas têm pungentes contribuições na eficiência de trabalho de qualquer pessoa. Aquelas pessoas que conseguem lidar com tais pressões tão adversas são aqueles profissionais que se destacam na eficiência de bons resultados, mesmo suportando tais entraves da vida moderna.

Sabemos que a competitividade pode gerar uma certa pressão no ambiente de trabalho, pois a obrigação de estar sempre demonstrando o seu potencial para manter-se em sua posição o faz ficar ansioso e estressado. E ainda como uma forma de avaliação de desempenho tem-se o cumprimento de metas e prazos que requer de você um desgaste psicológico e físico.

Cobranças abusivas de tais metas vindas tanto do empregador quanto de si mesmo repercutem em sua vida pessoal e contribuem para sintomas como: ansiedade, nervosismo, agitação, irritabilidade; alterações do apetite; alterações do sono; diminuição do apetite sexual; depressão; diminuição do bem-estar psicológico; perturbações psicossomáticas; agressividade; dificuldade de concentração; perda de memória; diminuição da capacidade de resolução de problemas; diminuição da autoestima; insatisfação com o trabalho; isolamento; desinteresse pela vida social; deterioração das relações sociais; e baixa imunidade.

As pessoas que passam cada vez mais tempo no trabalho excessivo estão sujeitas ao estresse e isso pode desencadear doenças autoimunes. Estes sinais são bem típicos e variam de pessoa para pessoa.

Evidencio a importância de evitar sofrer tais alterações organizando suas prioridades, de forma a corresponder à demanda de trabalho, avaliando o seu bem-estar profissional verificando se os seus valores são coerentes com os da sua empresa.

Em alguns casos, desafios e metas com produtividade reduzida deixam o profissional desmotivado, levando-o a uma insatisfação no trabalho, podendo ser um ponto de partida para o estresse.

Sugiro que a pessoa deva estar sempre atenta aos seus limites e ser sincera aos superiores sobre tais limites. Isto intermeia uma aproximação e, consequentemente, uma demonstração de sua honestidade perante seus superiores. “Estabelecer um limite é essencial para não arrebentar a corda e adoecer”.

‘’Válvulas de escape” devem ser abstraídas para aliviar as tensões e devem ser praticadas. O lazer é muito recomendado nessas ocasiões: praticar esportes, ouvir músicas, passeios com familiares e animais, conversas com amigos, brincar com filhos, são algumas sugestões para se quebrar a rotina da semana.

Ter um estilo de vida saudável, como um sono reparador, isto também propicia uma resistência às batalhas diárias no ambiente de trabalho.

Mesmo sendo uma realidade, é fato que nem todo profissional consegue lidar bem com a pressão. Pessoas menos experientes estão mais propensas a “entrarem em parafuso” quando o ambiente de cobrança começa a pesar. Dependendo muito de cada profissional, pessoas mais experientes, que têm domínio da sua área de atuação, conseguem administrar melhor o tempo e se planejar melhor para suportar isso.

De acordo com os especialistas, quem está se sentindo no olho do furacão pode adotar algumas estratégias para tentar lidar de forma mais saudável com a pressão. Isso porque a cobrança é contínua, os prazos vão se expirar e a tendência, infelizmente, é de mais pressão vindo por aí.

Sejam confiantes.

Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ELE fará.” (Salmo 37, verso 5).

“Os que esperam no Senhor renovam suas forças.” (Isaías 40, verso 31)


(*) Alda Andrade (Psicóloga)

Automotivação

Share

por José Roberto Marques.*

Automotivação – fator fundamental em sua carreira

 Motivacao2

 

Aprender a se automotivar é ter a capacidade de estimular a si mesmo a alcançar seus objetivos e se manter confiante. É trazer sentido a nossa existência e, através do autoconhecimento, descobrir diariamente quem somos. Pessoas motivadas tendem a ter carreiras bem-sucedidas, são mais felizes com suas escolhas e realizadas profissionalmente.

O autoconhecimento e a autovalorização são fatores importantes para se automotivar. Buscar se conhecer, definir metas, se valorizar no trabalho, tudo isso gera pensamentos positivos e melhores resultados.

A automotivação é essencial para bons profissionais, pois as suas motivações não se prendem em fatores externos como: salários e bônus. Eles são conscientes do seu trabalho em sabem o seu valor!

Veja algumas dicas para exercitar a automotivação:

– Planejamento Pessoal: é a chave para a realização e para o sucesso profissional. Por meio desse planejamento é possível manter o equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional, pois deste modo saberá de onde partir e aonde quer chegar;

– Defina metas: definir metas é muito importante, pois são elas que nos levam a realizar algo. A automotivação surge quando percebemos que tudo está fazendo sentido. Você passa a gostar do que está fazendo, reconhece sua importância, tem força para continuar progredindo e cria oportunidades para alcançar o sucesso;

 Autoconhecimento: nesse momento você precisa saber todas as suas capacidades e limitações. Se autoconhecer é importante para saber seus pontos de melhoria e acertos. Além disso, é fundamental para avaliar a sua capacidade empreendedora.

– Inteligência Emocional: é a forma como cada um de nós lida com as emoções. Identificar, compreender e respeitar as diferenças das pessoas com as quais se relaciona e construir uma amizade agradável e flexível. A satisfação atingida através de relacionamentos positivos, nos motiva. Além da sensação de alegria e bem- estar, nos leva a uma convivência harmônica.

– Pensamento Positivo: é importante sempre o pensamento positivo, pois ele nos move a fazer o melhor e a enfrentar os desafios com mais coragem. Permitindo-nos também ter momentos de bom humor e descontração com nossa equipe e colegas de trabalho.


  • José Roberto Marques é presidente do IBC, Master Coach Senior e Trainer.

Fatores que influenciam o clima organizacional

Share

por Ronaldo Lundgren.

fatores que influenciam o clima organizacional

Fatores que influenciam o clima organizacional

O RH Portal define clima organizacional como um conjunto de propriedades mensuráveis do ambiente de trabalho percebido, direta ou indiretamente, pelos indivíduos que vivem e trabalham neste ambiente e que influencia a motivação e o comportamento dessas pessoas.

Clima organizacional é o indicador de satisfação dos membros de uma empresa, em relação a diferentes aspectos da cultura ou realidade aparente da organização, tais como: políticas de RH, modelo de gestão, processo de comunicação, valorização profissional e identificação com a empresa.

Para que serve conhecer o clima organizacional

A apuração do nível de satisfação dos colaboradores, se faz necessária para:

  • Indicar e apoiar as decisões dos gestores;
  • Mensurar como está a qualidade de vida no trabalho dos colaboradores. Assim, se a qualidade do trabalho for pobre, conduzirá à alienação do empregado e à insatisfação, à má vontade, ao declínio da produtividade. Também, a comportamentos contraproducentes (como absenteísmo, rotatividade, roubo, sabotagem, militância sindical etc.);
  • Estabelecer referências confiáveis sobre um ambiente específico para implementar ações, onde cresça a motivação, gerando um espírito participativo, efetivo, levando a empresa a atingir excelentes níveis de produtividade e comprometimento.

O clima organizacional é uma variável que influi diretamente na produtividade, pois o grau de salubridade de uma organização depende de sua atmosfera psicológica.

Esta atmosfera é fruto do conjunto de percepções das pessoas que compartilham seu dia-a-dia com a organização. A pesquisa revelará a realidade percebida pelos colaboradores e não somente o que efetivamente acontece.

Se a qualidade do trabalho for boa, conduzirá a um clima de confiança e respeito mútuo, no qual o indivíduo tenderá a aumentar suas contribuições e elevar suas oportunidades de êxito psicológico e a administração tenderá a reduzir mecanismos rígidos de controle social.

7 fatores que influenciam o clima

Para José Roberto Marques, existem 7 fatores que influenciam o clima organizacional de uma empresa:

Flexibilidade – Quanto os funcionários se sentem livres para inovar.

Responsabilidade – Senso de responsabilidade para com a empresa.

Padrões – Níveis de padrão/processos definidos na empresa.

Recompensas – Quanto as recompensas recebidas são vistas como corretas.

Transparência – O quanto as pessoas entendem os valores e missão da empresa.

Comprometimento – nível de compromisso com um propósito em comum.

Liderança – A qualidade das lideranças em geral da empresa. As atitudes do chefe impactam sobremaneira o clima organizacional. (Consulte o artigo “Quanto vale o sorriso do chefe“)

Considerações finais

Líderes que usam estilos que afetam o clima positivamente conseguem, sem dúvida, resultados financeiros melhores do que aqueles que usam estilos com efeito negativo.

O clima organizacional na empresa é responsável por 1/3 dos resultados, o que é demais para ser ignorado. O estilo do líder é o que mais afeta o clima.

[INFOGRÁFICO] Fatores que influenciam o clima organizacional (264 downloads)

Existem outras pessoas que aguardam uma indicação de leitura vinda de você. Compartilhe! Não as deixe esperando.