Liderança Situacional: um diferencial estratégico

Share

Liderança Situacional: um diferencial estratégico

Liderança Situacional: um diferencial estratégicopor Giselle Aparecida Duarte e Adriana Cássia Papa.

As atuais exigências do mercado apontam para a necessidade de profissionais com múltiplas competências.

Os líderes desempenham um papel fundamental na eficácia dos grupos e das organizações. Muitas vezes, sinalizam o sucesso ou fracasso organizacional.

Nesse cenário de incertezas e mudanças frequentes, é importante que os líderes sejam hábeis em adaptar-se.

Que acompanhem as novas tendências do mercado se quiserem ter seu lugar ao sol.

De acordo com Moura e Torres,

“diante das incertezas desse cenário os líderes devem ser capazes de adotar novos modelos mentais, percebendo que as mudanças ocorrem em escala contínua, decorrentes de demandas situacionais internas e externas”.

Liderança Situacional

A Liderança Situacional é uma proposta de mudança da teoria tradicional hierarquizada, condizente com o contexto atual, a era do conhecimento.

Na contemporaneidade, já não é mais possível manter os velhos padrões, pois o mundo corporativo busca mais e mais a competitividade e efetividade.

É imprescindível que o líder contemporâneo consiga identificar e diagnosticar situações complexas.

Que esteja apto a trabalhar em equipe. Que conheça o negócio e saiba a quem recorrer nas situações adversas.

Nesse sentido, a Liderança Situacional enfatiza a capacidade do líder em reconhecer o nível de maturidade de seu liderado. Então, adequar o estilo de liderança ao nível de desenvolvimento, sendo uma estratégia bastante competitiva.

O papel do líder situacional é contribuir com os colaboradores no que for preciso:

  • seja na direção;
  • no treinamento;
  • no apoio; ou
  • nas metas.

Os colaboradores poderão aperfeiçoar suas habilidades, sua motivação e sua autoestima.

O objetivo das ações do líder é criar condições para que as pessoas se tornem cada vez mais autodigiridas e automotivadas.

É a partir do “desenvolvimento de indivíduos e de equipes autodirigidas, que substituam a hierarquia, que gerentes podem assumir com maior facilidade seus novos, e mais influentes, papéis como incentivadores, mentores e líderes de equipe” (BLANCHARD et al.).

A Liderança Situacional, nas organizações, suscita colaboradores e clientes mais satisfeitos, clima organizacional mais harmônico, produtividade e, consequentemente, aumento da lucratividade.

Referência(s)

Artigo de Giselle Aparecida Duarte e Adriana Cássia Papa – A utilização da liderança situacional como diferencial estratégico para as organizações contemporâneas. Revista de Administração da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Deixe uma resposta