Atingiu um objetivo e agora se sente vazio?

Share

Atingiu um objetivo e agora se sente vazio?

Existe uma explicação…

atingiu um objetivo

por Silvio Crespo.

Você já sentiu um vazio depois atingir um objetivo como comprar um carro que queria muito, terminar um mestrado ou encerrar um projeto importante? Esse vazio é algo normal e pode ter diversas causas.

Se a pessoa coloca muita expectativa em um objetivo, de forma desproporcional ao que essa conquista representa, ela pode se frustrar, de acordo com Helio Deliberador, professor de psicologia social da PUC-SP (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo).

“Se o processo [para atingir o objetivo] foi bastante exigente e estressante, algumas pessoas podem expressar um certo vazio, até que se refaça do estresse passado e encontre a satisfação por novos projetos”, explica o especialista.

O vazio momentâneo pós-conquista, diz o professor, também pode fazer a pessoa voltar sua atenção para problemas anteriores que não estavam resolvidos – e que foram deixados de lado enquanto o indivíduo estava focado em atingir seu objetivo.

3 fatores agravam a sensação de vazio

Ainda que esse sofrimento muitas vezes seja leve, em alguns casos pode ser agravado quando a pessoa:

  • Deposita muita energia na busca pelo seu objetivo;
  • Priva-se de elementos importantes da sua vida durante o processo (por exemplo, fica longe da família e amigos, abre mão de diversos prazeres etc);
  • Não reflete sobre as perdas que terá após atingir o objetivo (por exemplo, um youtuber, ao atingir o sucesso, pode perder a sua privacidade e o seu anonimato para sempre).

“Isso acontece muito com atletas. Eles investem uma energia enorme no processo, privam-se de várias coisas na vida social e na alimentação, e quando finalmente atingem o patamar desejado falam: ‘Hmm.. é isso? E agora, o que eu faço? Será que dá para recuperar o que eu perdi nesse processo?'”, explica o psicólogo Marcos Lanner de Moura, especializado em orientação vocacional e doutorando em psicologia social pela USP (Universidade de São Paulo).

Outro elemento que pode agravar o luto pós-conquista é a cobrança.

“A pessoa pode ficar se cobrando para conseguir a mesma performance no seu passo seguinte”, gerando tensão e ansiedade.

O psicólogo acrescenta que, quando a pessoa ganha admiradores devido às suas conquistas, ela pode se sentir vigiada e pressionada por eles, como se tivesse a obrigação de não decepcioná-los nos próximos projetos.

E aí, o que fazer?

Por isso, ao estabelecer um objetivo, é bom fazer alguns questionamentos:

O objetivo é mesmo tão importante quanto parece?

Muitas vezes, diz Deliberador, a pessoa coloca muita expectativa em um objetivo externo e material e esquece de olhar aquilo que não está bom dentro dela.

Com isso, o sujeito confunde suas necessidades e acaba se dedicando a uma busca que não é tão importante quanto ele imaginava.

Ao que você está renunciando para atingir o que deseja?

Às vezes, a pessoa está tão focada em atingir seu objetivo que não percebe que está abrindo mão de outras coisas que também são importantes, como “a vivência social, a pertença familiar, as amizades e outras realizações”, explica o professor da PUC-SP.

O que você perde com isso?

Atingir um objetivo pode trazer ganhos, mas também perdas.

Em alguns casos, atingir o sucesso pode levar a uma redução da privacidade, por exemplo, comenta Moura.

A pessoa que tem consciência disso já na fase de busca tende a estar mais preparada para o momento da perda.

Você está se isolando ao perseguir seu objetivo?

“Geralmente, quando a pessoa está em uma busca intensa, ela se isola. Ela pode ter vários fãs, mas nenhuma relação real com eles”, afirma o orientador profissional.

Muitas vezes, é somente depois de atingido o objetivo que o sujeito percebe o quanto está só. Nesses casos, ele precisa “se reconstruir na trama social”, dando atenção para suas amizades, relações familiares e laços de pertencimento a grupos.

Considerações finais

Muitas vezes, buscar orientação profissional é de uma alternativa.

Quando o objetivo é no âmbito de trabalho, receber uma orientação de um especialista pode ajudar a lidar com o caso.

Deliberador observa que o vazio pós-conquista é muito comum após a conclusão de um mestrado ou doutorado. “Esse tipo de mudança pode dar um vazio enorme”, acrescenta Moura.

Referência(s)

Este artigo foi publicado no sítio Viva Bem.

Autor: Ronaldo Lundgren

Possui graduação pela Academia Militar das Agulhas Negras; é Mestre em Estudos Estratégicos pelo US Army War College; e Doutor em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Deixe uma resposta